Arquivo de maio de 2013

Lesões mais comuns no Tênis – Parte 2 (Punho)

Postado por admin em 31/maio/2013 - Sem Comentários

Para o tenista, o punho é bastante importante uma vez que define a qualidade do golpe com a raquete. Overuse, erro técnico e equipamento inadequado (além de trauma direto) são as principais causas de lesão no punho. Vamos entender um pouco mais sobre cada uma?

– Inflamação da cartilagem triangular:

Anatomia: a fibrocartilagem triangular (FCT) é um pequeno disco triangular, com estrutura bem parecida com a do menisco do joelho. Ela está localizada entre os ossos do antebraço (rádio e ulna) e o conjunto de ossos da mão (ossos do carpo), conforme conseguimos ver na figura abaixo:

Fibrocartilagem Triangular

Dá para ver que ela se localiza mais perto da porção ulnar do punho (lado do dedo mínimo), que é onde o tenista costuma referir a dor.

Biomecânica: Juntamente com os ligamentos desta região, que conectam os ossos do antebraço aos ossos da mão (figura abaixo), ela forma o complexo da fibrocartilagem triangular (CFCT). O CFCT tem as funções super importantes de estabilizar dinamicamente a articulação (principalmente durante a rotação do punho) e absorver forças axiais (impactos durante um choque/queda ou força de preensão da mão), permitindo o movimento suave e preciso da articulação do punho.

Complexo Fibrocartilagem Triangular

Fisiopatologia: A Lesão do FCT resulta normalmente de situações traumáticas (quedas com a mão estendida), de descarga de peso sobre as mãos (na ginástica olímpica, por exemplo), de movimentos fortes de torcer ou puxar realizados frequentemente (com ferramentas ou esportes com raquetes), de movimentos combinados ou ainda, de movimentos realizados em amplitudes extremas da articulação do punho.

No caso dos tenistas, o movimento combinado de extensão do punho+desvio ulnar+supinação costuma ser a causa da lesão e este é o movimento da mão não dominante no backhand de duas mãos ou da mão dominante no forehand, durante a preparação e swing antes do contato com a bola. O movimento em amplitude excessiva pode aparecer a fim de compensar a falta de giro do tronco (principalmente no backhand), equipamentos e técnica inadequados.

Sintomas: A pessoa apresentará dor na borda ulnar do punho (lado do dedo mínimo), que se intensifica principalmente com os movimentos de rotação do antebraço (pronação), preensão palmar e desvio ulnar; por isso, provavelmente também apresentará dificuldade, dor e até insegurança (devido à fraqueza) para suportar um peso (principalmente sobre a mão espalmada) ou girar uma maçaneta ou chave.

Tratamento: O tratamento sempre preconizará o alívio da dor (e outros sintomas) e o reequilíbrio biomecânico do punho. Para isso, poderá ser necessário realizar um período de repouso total ou relativo (imobilizar ou apenas evitar os movimentos que causam dor), aplicar recursos de analgesia (gelo, TENS ou Ultrassom), manipular a articulação, fortalecer e alongar músculos ou até mesmo realizar cirurgia (geralmente artroscópica). Os resultados dos exames clínicos e de imagem (ressonância magnética) de cada paciente ajudarão o médico e o(a) fisioterapeuta a decidir quando e quais procedimentos deverão ser realizados.

Lesões mais comuns no Tênis – Parte 1

Postado por admin em 31/maio/2013 - Sem Comentários

Nunca fui super fã de Tênis… mas, como tenho recebido muitos tenistas no consultório, resolvi escrever sobre a visão que tenho deste mundo… as Lesões mais comuns no Tênis.

Bom, esta é uma tentativa de ajudá-los a entender o que realmente se passa com o corpo e portanto, é a oportunidade de deixarem de pensar que são azarados por sentirem essa dor ou aquela outra… para isso, tenho que começar do começo: o início da “carreira” no tênis!

Geralmente os tenistas começam a praticar despretensiosamente, apenas com alguns treinos curtos durante a semana; depois de algum tempo, estão inscritos em diversos torneios com o pessoal do clube ou da academia. Neste ambiente super empolgante e contagioso, qualquer dor aqui ou ali deve passar desapercebida porque simplesmente “não dá” para parar de treinar e jogar!! Assim começa a busca quase interminável pela solução milagrosa: trocar de raquete, trocar de tênis, colocar gelo, comprar acessórios novos, fazer um pouco do que cada colega faz (médicos de plantão!), e mais mil outras coisas e receitas que acharam na internet… infelizmente, na maioria das vezes é assim que o problema vai criando raízes mais profundas e sombras maiores, se tornando crônico, mais complexo e limitante…

Por isso, preste atenção: assim como a dor não apareceu em um passe de mágica, também não sumirá assim!! Levará algum tempo e custará algum esforço, talvez na mesma medida que você “investiu” para adquirir a lesão.

Explicando: praticamente toda lesão (com exceção dos traumas) ocorre em consequência de um desequilíbrio biomecânico, ou seja, alguns músculos trabalhando mais enquanto alguns outros estavam “descansando”. O resultado disso é que alguém fica sobrecarregado: o músculo que está trabalhando mais ou um tendão, ligamento, cartilagem, etc… Portanto, para consertar o problema que causa a dor, temos que trabalhar para re-instaurar o equilíbrio… de uma forma geral, conseguimos isto através dos famosos exercícios de fortalecimento muscular (e alongamentos) da fisioterapia. ATENÇÃO novamente: não é musculação ainda!! Estes você faria se estivesse em plena forma física, para ganhar mais massa muscular! Os exercícios da fisioterapia irão levá-lo ao ponto zero! Sim, porque com dor, você está no negativo, certo?! Então, primeiramente vamos corrigir o movimento (fortalecendo os músculos que estavam descansando) e depois você será encorajado a manter tudo funcionando bem em sua prática esportiva…

Tentando simplificar e facilitar o entendimento, vou falar então de cada lesão específica nos posts seguir. Mas lembre-se que cada caso deve ser avaliado particularmente, pois estas informações formam apenas um panorama geral para que você entenda melhor o que está acontecendo, ok?!

Espero que todos gostem e aproveitem as informações!

Curso de Meditação

Postado por admin em 29/maio/2013 - Sem Comentários

 

Abrindo a agenda de cursos no espaço novo, nada melhor do que começar com o curso de Meditação Ishaya!!

Vale a pena experimentar, o método é realmente transformador e delicioso de praticar!

Vejam mais informações sobre o método no site www.caminhobrilhante.com e sobre o curso, no folder abaixo.

Fiquem à vontade para me perguntar sobre o isso, será um prazer ajudar.

Curso Ishaya Jun.13