Arquivo de julho de 2013

Curso de Hypnobirthing no Brasil

Postado por admin em 06/jul/2013 - Sem Comentários

É neste mês, tá chegando, faltam menos de 30 dias!!!

Gestantes e profissionais, aproveitem, a oportunidade é única e inédita no Brasil e na América do Sul!!

Acessem o blog, o site, o face… leiam, perguntem, inscrevam-se!

HB_Flyer

Relato de Parto Andréia Mazloum

Postado por admin em 06/jul/2013 - Sem Comentários

Esse foi especial para mim… vi uma família nascer de perto e pude participar do processo de crescimento de uma grande amiga que se tornou uma grande MÃE!!

Segue o Relato de Parto de Andréia Mazloum:

AMM e Sara

 

Hoje (27/06/2013), mãe de Sara, filha linda, forte e muito saudável, graças a Deus, nasceu da maneira humanizada (07/04/2013) como eu queria e sem frustrações, graças as informações passadas por uma grande amiga, doula e fisioterapeuta, Lúcia Junqueira, e o querido obstetra Dr. Alberto Guimarães, achado nos últimos do segundo tempo!

Antes de ficar grávida, nunca havia pensado em como teria meu bebê, só achava esquisito as pessoas marcarem uma hora para o parto, não achava tão natural como a sociedade pensa, mas nunca critiquei.

Quando eu fiquei grávida, minha amiga Lúcia conversou bastante comigo sobre os partos no Brasil e fiquei muito triste de como o sistema de saúde brasileiro estava banalizando a saúde da mulher e do bebê. Li muita coisa, assisti vídeos e começamos um trabalho de conscientização da região perineal, de como seria o plano de parto…

Passei tudo para meu antigo médico e ele de pronto já me disse que é a favor das cesarianas, mas que eu poderia me sentir à vontade para procurar um médico que fizesse tudo como eu gostaria. Fiquei um pouco chateada, mas gostei de sua sinceridade, pelo menos não me enganou! Então começou o desespero à procura de um médico que pudesse fazer isso dentro da minha realidade, e foi pela internet que achei o Dr. Alberto, pude passar tudo pelo meu convênio e o parto acertado como poderia. Fiquei mais confiante e feliz, pois tudo que tinha acreditado, poderia se tornar uma realidade e o melhor sem intercorrências chatas e indesejadas!

Com 37 semanas, sentia algumas contrações no início da manhã, que logo desapareciam, fui perdendo líquidos por 4 dias, mas não era significativo de bolsa rota; com 38 semanas, apareceram sangramentos amarronzados, estava tudo indo bem, seriam sinais que a boa hora estava próxima, segundo Dr. Alberto. Na sexta-feira que antecedia minhas 39 semanas, passei em consulta e já estava com 2 cm de dilatação e ainda o líquido da bolsa estava ok, poderia entrar em trabalho a qualquer momento, mas também poderia chegar a mais semanas, tudo dependia da hora que nossa bebê quisesse vir.

Logo às 5 da manhã do sábado, como de rotina, apareceram as contrações, mas aí não desapareceu mais, tinha longos períodos de interrupções, mas aparecia novamente, foi assim o dia todo. Consegui me adiantar em tudo que levaria à maternidade São Luís (que estava do lado de casa – outro fator importante a se pensar), fiz almoço e não agüentei lavar a louça; senti muita fadiga e dormi com a mão na lombar, que estava com um pouco de dor. Às 23 horas, intensificaram as contrações e meu marido Yousef teve a idéia de marcar toda hora que vinha a contração, para termos o controle do tempo. Ele encheu a bola Bobath, para eu ir realizando movimentos pélvicos, como minha doula havia orientado; isso fazia diminuir o tempo da contração, mas a intensificava, auxiliando a dilatação. Ao chegar os intervalos de 5 em 5 minutos, ligamos para ela e ela já estava chegando em minha casa; foi muito legal e imprescindível o auxílio que me deu com manobras de diminuição de dor no aparecimento das contrações. Em um determinado período pediu para avisarmos o médico e para que já fossemos saindo para ir ao hospital, porque em breve entraria em outra fase, que ela preferia que já estivesse bem acomodada no quarto do parto.

Passada boa parte da fase latente em casa, cheguei no hospital com 5 cm de dilatação, e bem amparada com minha doula e meu querido marido que também estava ajudando na diminuição das dores; na verdade, a dor é descrita como uma cólica forte, às vezes se equipara a dor de uma diarréia. Chegando ao hospital, por mais humanizado que seja, as enfermeiras tem todo um protocolo chato para realizar e que atrapalha o trabalho de parto… cheguei com sede e não me deixaram tomar água até meu médico chegar e liberar … A internação foi rápida e logo estava na sala de parto chamada delivery, do São Luís Anália Franco; depois de pouco tempo, as cólicas deixaram de existir, veio uma vontade de vomitar e entrei em fase de puxos e expulsões. Minha segurança era apertar e me segurar no meu marido de um lado e escutar e receber amparo e manobras da minha doula do outro. Quando meu marido se ausentava, segurava na mão da enfermeira, do médico ou da minha amiga, que não era o suficiente como o apoio do meu marido! Para ele também foi um trabalho de parto, pois ficou ativo o tempo todo e foi muito responsável pela vinda saudável da Sarinha, acho que foi uma experiência incrível para ele e está sendo ótimo para lhe dar segurança de cuidar da nossa bebê.

Os momentos foram únicos, cada fase vinda de forma a auxiliar na dilatação e na expulsão do bebê, depende de como fomos informadas para passar por tudo isso da melhor forma, com força, atenção e consciência até das respirações que auxiliaram na hora da expulsão, e foi ativamente que a vinda da Sarinha foi acontecendo. Acredito que o Dr. Alberto tenha entrado 4 vezes na sala, para dar boas dicas de atuação, e uma delas me falou para que eu sentisse a cabecinha dela lá dentro e perceber como estava perto seu nascimento; em um dos momentos, a força de expulsão estava se intensificando e a bolsa rompeu e voou, quase atingindo o dr., que prontamente se esquivou; em outros momentos me deu a bola Bobath, sugeriu posições e respirações, e o melhor momento para descansar, para que me preparasse para o próximo passo, que precisaria da minha maior força, para o nascimento; disse-me ser um momento altamente feminino, tanto que a Sarinha de fato veio quando ficamos eu e a doula sozinhas, ela me encorajou para começar novamente e entrar no ritmo, pois já estava o perdendo e com fadiga nas pernas; sabia que se ficasse deitada, demoraria mais e não facilitaria a sua saída… foi quando fiquei em pé com apoio de antebraços na cama, como o Dr. Alberto já tinha me dito, e veio o grande círculo de fogo, uma queimação forte e que nos daria a Sara, dependia das contrações uterinas para que ela fosse passando pelo canal e pelo que lembro foram em 4, e as minhas reações foram inusitadas e a experiência da “Partolândia” foi sendo sentida. Eu queria entender o que estava acontecendo o tempo todo,  e ela estava nascendo, foi bem emocionante! Meu marido me segurou pela mão fortemente e minha amiga doula foi conversando e me dando imagens o tempo todo para me auxiliar na consciência do local, enquanto o Dr. Alberto sustentava a cabecinha que logo já estava saindo… ao sair todo o corpinho, ele me pediu para pular o cordão e ir me acomodando na cama.

Nesta hora, ele colocou-a sobre meu peito e eu estava despida pois ao longo do trabalho de parto fui querendo ficar o mais confortável possível; foi assim que terminamos da forma mais natural e como havíamos planejado, sem intercorrências, graças a Deus.

       O Dr. Alberto esperou o cordão parar de pulsar para cortá-lo e foi monitorando a saída da placenta. Foi um momento divino e perfeito, meu marido estava tão emocionado, que até a voz dele mudou, não sei nem se choramos ou se rimos, mas certamente estávamos muito felizes.

AMM You e Sara no HSL

        Enquanto levaram nossa Sarinha para os protocolos de nascimento, o Dr. Alberto foi avaliando se ocorreram lacerações, e deu um pontinho interno e outro externo, e só nesta hora recebi uma anestesia local, que foi muito bem vinda. Ele pediu gelo para que a área já fosse tratada.

AMM e Eu no HSL

Só depois as enfermeiras colocaram-na novamente no meu peito, para que eu amamentasse naquele primeiro momento, foi lindo e ali me senti mãe de verdade! Maravilhoso!!! Agradeço a todas as pessoas que estavam presentes e que me deram todo o apoio, a gratidão é eterna!!!

Acredito que vale muito a pena tentar um parto normal, da maneira que puder passar por esta experiência! No primeiro dia de nascimento da Sara, sentimos diferença no tônus muscular, nas reações, abertura de olhos… tudo é diferente! A bebê parece já vir pronta para o mundo…

Sara pós banho

e a mãe pronta para cuidar da melhor maneira, com muita segurança e maturidade!

No nosso caso, até o pai ficou seguro!


You e Sara em casa

Curso de Meditação – Agosto 2013

Postado por admin em 06/jul/2013 - Sem Comentários

Como o curso anterior foi um sucesso e faltaram vagas, nosso  querido professor Atmadeva voltará em agosto para ensinar uma técnica fácil e deliciosa para uma nova turma… Vale a pena experimentar!

Vejam mais informações sobre o método no site www.caminhobrilhante.com e sobre o curso, no folder abaixo. Entrem em contato!!

Curso Ishaya Agosto