Arquivo de maio de 2016

Mensagem para todas as gestantes / famílias

Postado por admin em 06/maio/2016 - Sem Comentários

Sempre digo que é um prazer ser convidada para Doular alguém… é realmente muito especial acompanhar uma família na preparação de um parto e estar com ela na chegada do seu novo bebê! Sempre me proponho a trabalhar junto com a família não apenas para ampliar horizontes e dar suporte às escolhas, mas também para que entendam que o caminho é mais importante que o resultado… para que entendam que um parto lindo só não é traumático se ele foi desejado… para que entendam que ser pai e mãe (e suas responsabilidades) começa muito antes do nascimento do bebê!

Cada um é um e está em um momento da vida que facilita ou dificulta a compreensão dos processos e acontecimentos, sei disso! Mas se eu pudesse, abriria a cabeça de todos e colocaria lá dentro o seguinte pensamento da Gail Tuly:

“Partos cesariana são uma benção para aqueles poucos bebês que não conseguem encontrar o caminho através da pelve. Quando usada com bom senso, esta cirurgia é um salva-vidas. Eu espero que você, através da sua abordagem, se entregue totalmente ao seu trabalho de parto, e que você seja gentil consigo mesma e não julgadora, com o apoio emocional que você precisa. Então, mesmo se o médico terminar o parto do seu bebê para você, você terá dado à luz para você mesma como mãe, ou como mãe novamente, não importando a forma como o seu bebê saiu”.

Estarei sempre ao lado de vocês (famílias que procuram o meu trabalho), apoiando primeiramente o parto natural! Mas fundamentalmente, a melhor experiência da vida de vocês!

Placenta?! Quem é ela e o que fazer com ela…

Postado por admin em 06/maio/2016 - Sem Comentários

Aqui no Brasil, o país que ainda considera o parto normal e natural uma novidade ou modernismo desnecessário, é muito difícil ter ideia de quem ou o que é a placenta; saber o que fazer com é sem dúvida ainda mais inusitado… É preciso revisar conceitos importantes, entender que ter o conhecimento disso não é coisa apenas para hippies (ou equipe médica) e aí sim, escolher o caminho deste órgão temporário mas muito especial… Vamos lá?!

Primeiro precisamos lembrar que a placenta é um órgão! Temporário, porque só existe durante a gestação (de mamíferos), mas tão importante quanto qualquer outro do corpo. Com cerca de 500 gramas, o órgão é formado por duas faces: uma fica em contato com o útero materno, enquanto a outra é ligada ao bebê, pelo cordão umbilical.

Embora ela tenha outros papéis, a principal função da placenta é realizar a comunicação entre o corpo da mãe e do bebê no útero, facilitando a troca de nutrientes para proteger e sustentar a gravidez. Ela é responsável por aconchegar o bebê dentro do útero, transferir nutrientes e oxigênio do sangue da mãe para o bebê e secretar alguns hormônios fundamentais para esta fase; veja quantas funções essenciais para a vida do novo ser em formação:
– Controla o hormônio gonadotrofina coriônica que é indispensável para fixar o embrião ao útero;
– Produz e estimula hormônios da gestação (estrogênio, progesterona e lactogênio, fundamental para a produção de leite);
– Fornece nutrientes e oxigênio ao bebê (oxigênio, glicose, cálcio, água, entre outras substâncias);
– Filtra o sangue da gestante, eliminando tudo o que é nocivo;
– Garante a proteção imunológica do bebê;
– Protege o bebê contra alguns impactos na barriga da mãe;
– Elimina os resíduos que o bebê produz (urina, gás carbônico e outros dejetos que serão eliminados pelo organismo da mãe).

Ela é boa, não é?! No mínimo muuuito importante, certo?!
E é por isso que ela é bastante valorizada e homenageada em diversas culturas! Aqui no nosso país, estamos tentando voltar a pensar sobre como podemos dar um fim mais digno a este importante órgão que nutre, acolhe e ajuda nossos bebês durante a gestação. A maioria das pessoas ainda nem sequer sabe que a placenta é um “bem” da família (precisariam perguntar para o casal o que eles querem fazer com ela antes de simplesmente desprezá-la no lixo do hospital), muitos nem recebem a oportunidade de vê-la após o nascimento do bebê (ou não querem porque não conhecem o seu importante papel), mas algumas famílias já sabem, querem e escolhem um caminho bacana para ela! Veja nos links abaixo algumas opções:

Sugestões do que fazer com a Placenta – 1 (Árvore, Água, Terra, Carimbo, Sucos, Cápsulas, Tintura)
http://saudedamulhergravida.blogspot.com.br/2015/07/voce-vai-fazer-o-que-com-sua-placenta_6.html

Sugestões do que fazer com a Placenta – 2 (Parto de Lótus)
http://revistacrescer.globo.com/Curiosidades/noticia/2016/02/parto-de-lotus-mantive-meu-bebe-ligado-ao-cordao-umbilical-durante-seis-dias.html